Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
Sobre o site
O que você mais gosta do nosso site?
As fotos das galerias
As poesias premiadas
O concurso de poesias
Contribuições literárias
Tudo
Visito sempre
Visito pouco mas voltarei
Não voltarei mais
Ver Resultados

Rating: 2.5/5 (514 votos)




ONLINE
1




Partilhe este Site...





Saudações!

 

Esse site foi criado para que as pessoas possam conhecer o evento literário POESIAS SEM FRONTEIRAS e o Prêmio Literário Marcelo de Oliveira Souza.

Esse nome foi escolhido pelo fato de que a poesia é a mais nobre arte de se expressar e de unir povos, a poesia não tem fronteiras, não tem idade, tampouco credo e preferências.

Nossos eventos sempre esmeram-se em unir povos e culturas, por isso sempre acolhemos  não só o poeta, mas os estrangeiros dos quatro cantos  do mundo e também os jovens.

Inserindo-os  no maravilhoso mundo literário, rompendo fronteiras e estreitando laços.

As inscrições sempre são democráticas, onde participam desde o estudante, o lavrador, até o médico, engenheiro, professor e outras tantas profissões, cumprindo o nosso excelso objetivo de unir, aglutinando diferentes culturas e pensamentos, enriquecendo ainda mais a literatura universal.

* Aceitamos doações de qualquer valor que poderá ser feita via correios ou por conta corrente, o número se encontra junto ao título do blog, é só entrar em contato para combinarmos.

Ajude o POESIAS SEM FRONTEIRAS, divulgando  esse site, a cultura agradece.

 

 

 Embaixador da Poesia, nomeado pela Academia Virtual de Letras Artes e Cultura, MG; Ganhador do Prêmio  Personalidade Notável  2014 em Itabira MG ; Membro   da IWA  International Weitters Artistis – EUA ; da Sociedade  Ibero-americana de Escritores, Espanha; da Academia de Letras de Teófilo Otoni MG; da Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências RJ; da confraria de Artistas e Poetas pela Paz – CAPPAZ; da Associação Poetas Del Mundo; do Clube dos Escritores Piracicaba SP;  participa de vários concursos de poesias, contos,  publicações em jornais e revistas estaduais, nacionais e internacionais  sempre conseguindo ser evidenciado pelos seus trabalhos louváveis; colunista do Jornal da Cidade, Debates Culturais, Usina de Letras, entre outros. Organizador do Concurso Literário Anual POESIAS SEM FRONTEIRAS  e Prêmio Literário Escritor Marcelo de Oliveira Souza,IWA.

e-mail:   marceloosouzasom@hotmail.com

facebook: psfronteiras

Doações em qualquer valor:

Conta Corrente Bradesco

Agência 3679

Conta 5920-0

Em nome do autor do projeto

Marcelo de Oliveira Souza

 



POESIAS DOS VENCEDORES 2007

POESIAS DOS VENCEDORES 2007

MENÇÃO HONROSA

 

URSO PRETO

 

O urso preto das cavernas

pegava peixes no rio

pescava ensinando seus filhos

vejam só o que ele viu!

 

Montes de lixo e venenos

e o peixinho que morreu

foi procurando os culpados

agarrou um amigo meu!

 

O urso levou o amigo

pra caverna dos ursinhos

e nadando tirava o lixo

tentando limpar sozinho!

 

Um ursinho morreu de fome

o outro ficou doente

o amigo viu que os bichos

também sofrem como a gente!

 

O urso inteligente

não matou o nosso amigo

hoje juntos limpam o rio

mas querem contar contigo!

 

O urso preto não é mau

mas já mandou dois recados

que os rios estão poluídos

e vai pegar... os culpados!

 

Otávio Geraldo Reichert

Santo Ângelo Rio Grande do Sul Brasil

 

*******************************************************

TERCEIRO LUGAR

 

A VOZ DO CORAÇÃO

 

Acordei sobressaltado,

Sentindo uma dor no peito,

Pois ao olhar para o lado

Não a encontrei no leito...

Senti-me abandonado

Com o coração desfeito.

 

Para aonde terias ido,

Eu não podeia acreditar...

Será que haviame traído

Por muito lhe querer amar!

Senti-me um pingo caído

Nas profundezas do mar.

 

Contemplo a lua cor de prata

Cuja beleza me exalta,

Envolto de emoção.

Vejo assim irrequieto,

Por mais que esteja longe, vejo-a perto,

Com carinho e devoção.

 

Contemplo agora uma rosa,

Flor linda e cheirosa

Que dá vida ao meu jardim.

Vejo assim irrequieto,

Por mais que esteja longe, vejo-a perto.

Sentindo-a pertinho de mim.

 

Por mais que contemple a natureza,

Sentindo grata singeleza

Que sensibiliza o coração,

Vejo sempre irrequieto,

Por mais que esteja longe, vejo-a perto,

pois ela é minha paixão!

 

É assim um apaixonado,

Não fica amargurado

Por tamanha ingatidão.

Esquece tudo, tudo,

Não fala, fica mudo,

Pois quem fala é o coração!

 

Abílio Kac

Rio de Janeiro RJ Brasil

********************************************************

SEGUNDO LUGAR

 

ESTÁS AÍ, EM MINHA NOITE?

 

É noite...

Será que estás aí, em minha noite?

A luz se apagou e, seu clarão,

nos homens e nas coisas, desapareceu.

E tudo me parece cinzento e,

tudo me parece sombrio...

Tal como a natureza,

quando o nevoeiro empana o sol,

e, encobrea terra...

 

Tudo me custa, tudo me pesa,

sinto-me lenta...

Ao despertar, a manha me oprime, popis ele me mostra

mais um dia.

Tenho pressa de desaparecer,

invejo a morte,

como um esquecimento.

 

Quisera partir, evadir-me,

fugir... Para qualquer lugar,

escapar...

Mas escapar a quê?

A ti, aos outros, a mim, não sei.

 

Mas partir, fugir...

Avanço como um ébrio,

empurrada pela rotina, sem saber,

repito a cada dia os mesmos gestos,

sei, porém, que são inúteis.

 

Chamo e não respondes,

procurso, e não te encontro...

Tudo abandonei, tudo traí,

POis bem sabes,

que nem em pensamentos,

nunca isto aceitei.

Agora, vejo-me só...

Tua ausência é meu tormento.

É noite, agora.

 

Estás aí em minha noite?

Onde estás? Amas-me, ainda?

Não te deixei para trás?

Respond-me!

Estás aí, em minha noite?

 

Leinecy Dorneles

Rio Grande Rio Grande do Sul Brasil

 

*******************************************************

PRIMEIRO LUGAR!

FASES/FACES LUNÁTICAS

 

Um dia, a dor da partida.

Outro, a volta por cima.

 

Um dia, o sol ilumina.

Outro, muda o clima.

 

Um dia, se afoga em bebida.

Outro, muda-se a sina.

 

Um dia, tudo pesa.

Outro, se ajoelha e reza.

 

Um dia, se engole sapo.

Outro, se leva tudo no papo.

 

Um dia, somente crise.

Outro, vive-se de brisa.

 

Um dia, cheio de dever.

Outro, créditos em haver.

 

Um dia, mar em fúria.

Outro, ondeas, de luxúria.

 

Um dia, um certo desleixo.

Outro, tudo de novo no eixo.

 

Um dia, se dá uma de carangueijo.

Outro, se realiza um grande desejo.

 

Um dia, homemsem face.

Outro, melhor de classe.

 

Um dia, olhar pela fresta.

Outro, bolo em festa.

 

Um dia, apunhalada pelas costas.

Outro, a estação do inverno.

 

Um dia, o revés de fato,

Outro, o sucesso, estrelato.

 

Um dia, cólica de menstruação.

Outro, sangue novo em circulação.

 

Um dia, o calor da luz do dia.

Outro, o sereno da noite fria.

 

Um dia, realidade nua e crua.

Outro, cabeça no mundo da lua.

 

Crescente, cheia, minguante, nova.

Calendário que rege nossas bases,

A vida influencia e poe à prova:

Até a lua, por mais romântica que seja,

Tem lá os seus dias, tem as suas fases.

 

Geraldo Trombin

Americana São Paulo Brasil