Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
Sobre o site
O que você mais gosta do nosso site?
As fotos das galerias
As poesias premiadas
O concurso de poesias
Contribuições literárias
Tudo
Visito sempre
Visito pouco mas voltarei
Não voltarei mais
Ver Resultados

Rating: 2.5/5 (544 votos)




ONLINE
1




Partilhe este Site...





Saudações!

 

Esse site foi criado para que as pessoas possam conhecer o evento literário POESIAS SEM FRONTEIRAS e o Prêmio Literário Marcelo de Oliveira Souza.

Esse nome foi escolhido pelo fato de que a poesia é a mais nobre arte de se expressar e de unir povos, a poesia não tem fronteiras, não tem idade, tampouco credo e preferências.

Nossos eventos sempre esmeram-se em unir povos e culturas, por isso sempre acolhemos  não só o poeta, mas os estrangeiros dos quatro cantos  do mundo e também os jovens.

Inserindo-os  no maravilhoso mundo literário, rompendo fronteiras e estreitando laços.

As inscrições sempre são democráticas, onde participam desde o estudante, o lavrador, até o médico, engenheiro, professor e outras tantas profissões, cumprindo o nosso excelso objetivo de unir, aglutinando diferentes culturas e pensamentos, enriquecendo ainda mais a literatura universal.

* Aceitamos doações de qualquer valor que poderá ser feita via correios ou por conta corrente, o número se encontra junto ao título do blog, é só entrar em contato para combinarmos.

Ajude o POESIAS SEM FRONTEIRAS, divulgando  esse site, a cultura agradece.

 

 

 Embaixador da Poesia, nomeado pela Academia Virtual de Letras Artes e Cultura, MG; Ganhador do Prêmio  Personalidade Notável  2014 em Itabira MG ; Membro   da IWA  International Weitters Artistis – EUA ; da Sociedade  Ibero-americana de Escritores, Espanha; da Academia de Letras de Teófilo Otoni MG; da Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências RJ; da confraria de Artistas e Poetas pela Paz – CAPPAZ; da Associação Poetas Del Mundo; do Clube dos Escritores Piracicaba SP;  participa de vários concursos de poesias, contos,  publicações em jornais e revistas estaduais, nacionais e internacionais  sempre conseguindo ser evidenciado pelos seus trabalhos louváveis; colunista do Jornal da Cidade, Debates Culturais, Usina de Letras, entre outros. Organizador do Concurso Literário Anual POESIAS SEM FRONTEIRAS  e Prêmio Literário Escritor Marcelo de Oliveira Souza,IWA.

e-mail:   marceloosouzasom@hotmail.com

facebook: psfronteiras

Doações em qualquer valor:

Conta Corrente Bradesco

Agência 3679

Conta 5920-0

Em nome do autor do projeto

Marcelo de Oliveira Souza

 



Entrevistas c o organizador do evento/dono do site

Entrevistas c o organizador do evento/dono do site

 

                                                     2014

 

01) Quem é MARCELO DE OLIVEIRA SOUZA?

Marcelo de oliveira Souza: Um grande amante da literatura, da arte e do esporte, acredito que esses elementos moldam a personalidade do indivíduo, humaniza as pessoas e mostra a grande alegria que é essa aventura de viver.

02) Antes de começar a falar do seu trabalho, o que a Sr. tem a falar da sua cidade?

Marcelo de oliveira Souza: Nasci no Rio de Janeiro, contudo me criei em Salvador, uma cidade com grande potencial turístico devido as suas maravilhas naturais, sua culinária e arquitetura antiga, contudo ela não explora todo o seu potencial, a cultura literária vem se arrastando, não temos apoio e sequer um projeto literário para que os escritores possam desenvolver o seu trabalho, nós ficamos como filho sem pais, remando contra a maré, fomentando grupos de valorosos e heróicos lutadores para a cultura soteropolitana e estadual, não encalhar de vez.

03) O Sr. gosta mais de ler, de escrever? Por quê?

Marcelo de oliveira Souza: Gosto mais de escrever, contudo leio obras e trabalhos de escritores antigos, como Fernando Pessoa, Machado de Assis, Aluízio de Azevedo e Álvares de Azevedo, dos mais novos gosto de Fernando Sabino.

04) Quanto ao que escreve, o Sr. tem preferência para quais temas? Por quê?

Marcelo de oliveira Souza: Não tenho preferência por temas, estilos ou gêneros, muitas vezes faço o que toca a alma, quando mais novo trabalhava mais as poesias em todos os estilos, depois engendrei-me nos contos, mas como estava querendo escrever para jornais, procurando mais um campo de atuação, comecei a escrever artigos, fechando pois, o ciclo da versatilidade total e irrestrita.

05) Como foi a ideia de começar a escrever?

Marcelo de oliveira Souza: Enquanto criança, comecei a rabiscar alguns poemas, falando sobre o cotidiano pueril, continuei, mas sem a pretenção de guardá-los, acredito que seria até uma forma de terapia, depois de um tempo, decidi guardar os poemas, fui escrevendo em uma cadernetinha, depois resolvi datilografar os textos, assim surgiu ‘marceloescritor’.

06) O que o motiva a escrever? Tem alguma mania ao fazer? Algum “cantinho” especial?

Marcelo de oliveira Souza: Acredito que não, mas têm algumas palavras que gostam de permear meus textos, creio que é assim que nasce um estilo próprio.

07) Com toda certeza o Sr. já ouviu críticas sobre o que faz. Como as encara?

Marcelo de oliveira Souza: Naturalmente, não somos donos da verdade, ouvimos e seguimos em frente, quando a pessoa faz a crítica para ajudar acompanhamos atentamente sua sugestão, mas quando percebemos alguma maldade, sigo em frente da mesma forma, sem dar importânica, pois a Literatura é minha vida, já fez coisas impressionantes por mim.

08) Falando sobre seus textos/livros, como decide sobre os títulos?

Marcelo de oliveira Souza: Muitas vezes venho com o título já pronto antes de escrever, outras vezes, no decorrer do trabalho penso num prólego melhor…

09) Como o Sr. estabelece uma relação entre o título e o trabalho feito?

Marcelo de oliveira Souza: Quando é artigo, procuro algum título mais poético, ligado ao texto que possa ter alguma ambiguidade ou algo; o mais chamativo possível.

10) Depois que coloca o título, em algum momento já quis mudar?

Marcelo de oliveira Souza: Sim, muitas vezes.

11) Que reação (sensação) o Sr. tem ao ver o seu trabalho terminado?
Marcelo de oliveira Souza: No texto, sinto como se eu pudesse levar esse presente para cada um, tentando abraçar os seus corações, alimentando sua vida, norteando-os em seu cotidiano. No livro, a sensação é mais profunda, tem todos esses elementos, mas seu nome destacado na reluzente capa, é simplismente maravilhoso, sendo a realização de uma meta, como um rio que segue o seu caminho mas no final cai, eternizando uma cachoeira.

12) A obra “CONTO & RECONTO”, teve inspiração em quê? Ou em quem? Comente um pouco sobre.

Marcelo de oliveira Souza: É um apanhado de contos que vinha escrevendo em várias fases da minha vida, diversificado, como tudo em meus trabalhos, com textos para todos os gostos, relacionamentos humanos, espirituais, ufológicos; o livro, como eu, tem uma tendência a escrever tudo que é diferente, ao mesmo tempo tem um pouquinho a ver com cada um de nós.

13) O Sr. ao preparar as suas obras tem em mente passar algum aprendizado (lição de vida)?

Marcelo de oliveira Souza: É o caso do conto ‘Lição de Vida’, uma história verídica, que mexe com a humanização das pessoas, enaltecendo o amor e a esperança que a humanidade nos surpreende a cada dia.

14) Como é o “retorno” por parte dos apreciadores da boa escrita? Deixa-o satisfeito?
Marcelo de oliveira Souza: Estamos tendo experiências novas, com o advento da INTERNET, muitas pessoas que nunca sonhava conhecer, me procuram, como é o caso dessa entrevista, contudo, acho que aqui no Brasil, principalmente na região em que vivo fica muiito a desejar, sendo quase uma frustração, tantos escritores bons e valorosos, sem oportunidade de mostrar as suas obras, ou a pessoa é obstinada e lutar mesmo para publicar o seu livro, ou então termina como muitos: com seus trabalhos guardados nas gavetas, como eu conheço muitos assim. Procuramos incentivá-los, criamos até um concurso de poesisas, que sem apoio de ninguém praticamente, estamos iniciando os preparativos para a sétima edição, contamos com a sua colaboração, para uma eventual divulgação. (E vai ser divulgado sim!!!)

15) O Sr. participa de algum Grupo de Escritores? (Se sim, como é o trabalho lá?)
Marcelo de oliveira Souza: Quando falamos, sem apoio de ninguém praticamente, foi porque a única instituição que apoiou o nosso projeto, foi a Academia de Letras, Ciências e Artes do Arraial do Cabo, a qual sou sempre honrado em ser um dos seus membros. Mas enquanto escritor, já recebi muitas negativas em procurar patrocínio, assim resolvemos sozinhos engendrar nesse projeto, que já revelou muitos escritores e novos amigos.

16) Aos estudantes, o que indica?

Marcelo de oliveira Souza: O livro “A Sala de Aula” seria um ótimo começo, contudo um livro que mexe comigo e com as pessoas é ‘O PEQUENO PRÍNCIPE’ e ‘AMAR PODE DAR CERTO’, eu presenteava sempre essses exemplares, quando ainda não tinha publicado livros.

17) Como pode ser encontrado os seus trabalhos?

Marcelo de Oliveira Souza: Pelo site MARCELO ESCRITOR – a segunda oportunidade é comprando o exemplar do livro ‘Conto & Reconto, que já está quase se esgotando a primeira edição. Aproveitamos para agradecer a oportunidade de expressar os nossos

18) Qual recado deixaria aos leitores do site?

Marcelo de Oliveira Souza: No meu site o leitor sempre surpreende pelo que está lendo, pois o que chama mais a atenção é a versatilidade do autor; muitos sites literários apresentam autores que publicam poesias, contos, artigos, crônicas, mas na página MARCELO ESCRITOR, apresentamos todo tipo de texto do citado autor, todo tipo de estilo e o mais importante de tudo: temas universais sempre abordados, textos que possam mexer como a pessoas, refletindo sobre seus comportamentos e sobre a nossa sociedade universal.

03/08/2011

Coordenação e realização: Prof. Pedro César Alves, Araçatuba/SP.

 

***************************************************************

                                                               2017

Grande Entrevista a Marcelo de Oliveira Souza

Formato de Carlos Leite Ribeiro

Formatação de Iara Melo

Durante a viagem aérea de Lisboa Salvador BA, reli alguns apontamentos (como sempre faço) sobre o local onde vou fazer a entrevista. Neste caso, é na capital do Estado de Bahia, onde os portugueses chegaram em 1500, embora só começasse o povoamento em 1534. Embora em 1501 os portugueses começassem a utilizar o excelente porto de abrigo de São Salvador da Bahia (para se diferenciar de São Salvador de Luanda). Em princípio, apenas negociassem com os nativos o pau-brasil. Depois, começaram a aplicar o sistema de colonização por capitanias que se empregava nas ilhas atlânticas. A capitania de Todos-os-Santos foi a sétima a ser criada, entre 17 surgidas entre 1534 e 1536, medido 50 léguas entre o rio São Francisco e a ponta do Padrão. Avançando na História a Bahia foi palco de significativos movimentos de rebeldia, ora por aumento de impostos com por exemplo o motim do maneta, em 1711, ora de cunho emancipalista e libertário, como a conjugação dos Alfaiates, em 1798. Em 1763, Salvador perdeu a condição de 1ª capital do Brasil em favor do Rio de Janeiro.

Entretanto, o avião começou a sobrevoar Salvador que visto do ar parece uma ilha, até aterrar suavemente no aeroporto Deputado Luiz Eduardo Magalhães. Apanhei um táxi para o hotel, onde combinei telefonicamente com o entrevistado, o local e hora do nosso encontro no dia seguinte, ou seja, na parte superior do elevador Lacerda (*).

(*) O Elevador Lacerda é o primeiro elevador urbano do mundo. Em 8 de dezembro de 1873, quando foi inaugurado, era o mais alto do mundo, com 63 metros. Localizado na cidade de Salvador, na Bahia, cumpre a função de transporte público entre a Praça Cairu, na Cidade Baixa, e a Praça Tomé de Sousa, na Cidade Alta. Hoje é um dos principais pontos turísticos e cartão postal da cidade. Do alto de suas torres, descortina-se a vista da Baía de Todos-os-Santos, do Mercado Modelo e, ao fundo, o Forte de São Marcelo.

 Levantei-me cedo para visitar o Mercado Modelo, interessante com seus produtos quase todos artesanais. Subi no Lacerda e já lá em cima, quando estava a admirar a belíssima baia de Todos-os-Santos e a ilha Marcelo, uma voz surgiu atrás de mim: “É o Carlos? Eu sou o Marcelo”. Depois dos cumprimentos, atravessámos a praça dos Governadores e seguimos à direita a ao largo de São Francisco, não visitámos a bela igreja pois cortámos à esquerda até ao Pelourinho (*) onde nas escadas da casa de Jorge Amado, nos sentámos e começámos então a entrevista.

(*) O pelourinho de Salvador foi instalado no século 16, com a fundação da cidade. Inicialmente, localizava-se na Praça Municipal (atual Praça Thomé de Sousa). Foi transferido depois para o Terreiro de Jesus e, com o protesto dos jesuítas, transferido para um local após as Portas de São Bento, como indicado no Prospecto de Caldas. Em 1807, foi instalado no atual Largo do Pelourinho, até que esse tipo de punição fosse extinto, cerca de 30 anos depois.),

Marcelo: - Não sabia que o Carlos conhecia tão bem Salvador!

Carlos: - Sim conheço a primeira capital do Brasil, situada na região nordeste do Brasil, e cidade de Salvador, conhecida no mundo todo por suas belas praias, paisagens naturais,
culinária e principalmente a música. Marcelo, sua idade e profissão?

Marcelo: - Nasci a 7 de Novembro, por isso sou de signo Escorpião; 

Carlos: - Qual sua melhor qualidade e seu maior defeito?

Marcelo: - Qualidade é a sinceridade; defeito é ser curioso.

Carlos: - Para você Deus existe?

Marcelo: - Sim, existe.

Carlos: - Que livro anda a ler?

Marcelo: - O Livro dos Espíritos.

Carlos: - O que é para você o termo Esoterismo?

Marcelo: - Uma fronteira que devemos ultrapassar.

Carlos: - O Imaginário será um sonho da realidade?

Marcelo: - Depende.

Carlos: - Acredita na reencarnação, em fantasmas ou em “almas do outro mundo”, e em histórias fantásticas?

Marcelo: - Para todos esses itens a reposta é Sim.

Carlos: - A cultura será uma botija de oxigênio? Sempre foi

Marcelo: - Sempre foi.

Carlos: - Prato preferido, assim como a bebida?

Marcelo: - Cozido e caruru, bebida: aprecio Suco de lima.

Carlos: - Nesta escada costumavam fazer um saboroso vatapá, mas hoje ainda não está cá a cozinheira. Amigo Marcelo, vamos mudar de local, pois já vimos  a igreja do Rosários dos Pretos e ao fundo a Baixa do Sapateiro. Vamos descer para cidade e continuar a entrevista no Campo Grande?

Marcelo: - De acordo, amigo Carlos.

Chegamos ao  Campo Grande, sentamo-nos numa esplanada bem junto ao monumento ao índio, que tem uma estatueta da heroína brasileira, Maria Quitéria, e continuámos a entrevista.

Carlos: - Quando era criança?

Marcelo: - Já escrevia e sonhava em lançar um livro.

Carlos: - Como se autodefine?

Marcelo: - Amigo de seu amigo.


Carlos: - Como vai de amores?

Marcelo: - Muito bem.

Carlos: - Seus passatempos preferidos?

Marcelo: - Viajar, assistir filmes, ouvir música.

Carlos: - Qual foi o maior desafio que aceitou até hoje?

Marcelo: - Nem te conto!

Carlos: - Que gênero de filme daria sua vida?

Marcelo: - Filme de aventura.

Carlos: - O arrependimento mata?

Marcelo: -Sim.

Carlos: - De que mais se orgulha?

Marcelo: - Dos projetos que consegui realizar

Carlos: - Uma imagem do passado que não quer esquecer no futuro?

Marcelo: - Das viagens que eu fiz.

Carlos: - Que vício gostaria de não ter?

Marcelo: - Não tenho vícios.

Carlos: - As piadas às louras são injustas?

Marcelo: -  Sim.

Carlos: - O dia começa bem para você se ..?

Marcelo: - Tiver uma boa ação.

Carlos: - Que influência tem em si a queda da folha e a chegada do frio?

Marcelo: - Alegria.

Carlos: - Os filmes comerciais que mais gostou?

Marcelo: - Titanic, Independence Day, entre outros.

Carlos: - Música e autores preferidos?

Marcelo: - Gosto de rock antigo, tanto nacional como internacional.

Carlos: - Autores e livros preferidos?

Marcelo: - Meus autores preferidos são os antigos Mário Quintana, Fernando Sabino, Machado de Assis, Aluízio de Azevedo, Augusto dos Anjos.

Carlos: - Sua obra Literária?

Marcelo: - Já temos lançados quatro títulos, primeiro foi um romance-documentário, “A Sala de Aula”, onde fala do relacionamento de professores, alunos, direção e afins; depois veio o livro de contos “Conto & Reconto”, que tem uma seleção de contos meus; depois publicamos um livro de poesias, “Confissões Poéticas” e por último lançamos um livro de crônicas chamado “Sobrevivendo”.

Carlos: - Literariamente, seus projetos para o futuro?

Marcelo: - Participar sempre de novas entidades literárias, fazendo uma ponte para os concursos literários que eu organizo anualmente, o “Poesias sem Fronteiras” e o “Prêmio Literário Escritor Marcelo de Oliveira Souza,iwa”